Hospitais filantrópicos sofrem com atrasos nos repasses

Publicado em 22 jun 2016 por Bárbara Araújo
a

Dra. Kátia Rocha também é assessora jurídica da INSG.

O Bom Dia Brasil de hoje mostrou a difícil situação dos hospitais filantrópicos em diversas partes do país. O atraso no repasse de verbas está contribuindo para que o endividamento desses hospitais, somente em Minas Gerais, já chegue à marca de R$1,8 bilhão.

Como acontece em Sete Lagoas, o dinheiro que vem da União está sendo repassado às Prefeituras regularmente. Por sua vez, Governos Estaduais e Municipais não têm transferido para as Santas Casas os recursos que deveriam servir para o pagamento de serviços prestados a pacientes do SUS.

Leia abaixo parte da reportagem:

“O dinheiro federal não está chegando para os hospitais filantrópicos. E a crise está prejudicando o atendimento. O atraso nos repasses chega a dois meses.

No Hospital São Francisco, em Belo Horizonte, falta o básico. O hospital está recusando pacientes que precisam ser internados no CTI com hemodiálise. Quatro máquinas não estão funcionando. Falta dinheiro para pagar o conserto.

Em Minas Gerais, 319 hospitais filantrópicos, que dependem de repasse de dinheiro do SUS, têm uma dívida que já chega a R$ 1,8 bilhão com salários de médicos, fornecedores e empréstimos bancários.

Nas Obras Sociais Irmã Dulce, em Salvador, o atraso médio no repasse de recursos do Governo Federal é de 68 dias. Dez mil pacientes estão na fila de espera por cirurgias.

No Rio Grande do Sul, a Federação das Santas Casas diz que o governo do estado é que deixou de repassar R$ 144 milhões aos hospitais.”

 

Acesse esse link para ver a matéria completa. 

 

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Email this to someone
Hospital Nossa Senhora das Graças © 2014 - Todos os direitos reservados